HORA CERTA

sábado, 22 de agosto de 2015

Homem que assassinou ex-esposa asfixiada com a calcinha sofre tentativa de homicídio; autores seriam parentes da vítima

Jadson Dourado
No início da noite desta sexta-feira (21), em Lago da Pedra, dois indivíduos tentaram assassinar Jadson Dourado Pacheco, conhecido como Jade, de 32 anos.

Jadson, em 2013, foi preso acusado de matar a ex-companheira, Izonete Gonçalves de Sousa, de 24 anos, com um corte no pescoço após descobrir que tinha sido traído. O crime aconteceu às margens do Rio Grajaú, local conhecido como Galo Duro, zona rural de Paulo Ramos.

Jadson logo foi preso, confessou o crime, e meses depois conseguiu sair da prisão para responder em liberdade. 
Parentes de Izonety tentaram a vingança, mas se deram mal 
Segundo informações, os dois indivíduos que estavam em uma motocicleta Honda/CG Titan, cor vermelha, com placa de Piçarra-PA, são parentes de Izonety e tentavam vingança.

Como aconteceu, em continua...


Jadson chegava em casa quando os dois elementos chegaram atirando. Ele rapidamente entrou no imóvel, se armou e revidou.

No momento um homem conhecido como Ailton, que passava pelo local, para salvar Jadson também começou a atirar contra os dois elementos que acabaram sendo baleados.

Ainda assim tentaram empreender fuga, mas acabaram chocando a motocicleta em um carro e caindo na pista, na rua Humberto de Campos, próximo ao local do tiroteio.
Estima-se que foram efetuados pelo menos 10 tiros.

Os dois baleados foram levados para o Hospital Serra de Castro.
Ainda segundo informações, Jadson e Ailton também foram atingido de raspão.

Caso Izonety

Trabalhando em conjunto, as polícias das cidades de Paulo Ramos e Lago da Pedra conseguiram prender Jadson Dourado em junho de 2013, acusado de assassinar sua ex-mulher Izonety, 24 anos, natural do povoado Pau Ferrado, município de Lagoa Grande, que havia sido encontrada morta no dia anterior nas proximidades do Galo Duro (Paulo Ramos).
 
Corpo de Izonety
Antes da separação os dois moravam em Lago da Pedra e um exame de (DNA) comprovando que o filho mais novo de Izonety não era de Jadson teria motivado o crime.

Izonete estava residindo em Brasília, onde já  estava casada com outro, mas ressorveu retornar à Lago da Pedra naquele dia para buscar o filho e os dois se reencontraram. Jadson a convidou para ir tomar banho no Galo Duro, em Paulo Ramos, lá travaram uma briga, onde Jadson confessou ter cortado o pescoço da mulher com um estilete e a matou asfixiada com a calcinha.

Nem mesmo os parentes da vítima sabiam que ela tinha chegado de Brasília.

Por volta das 15h o casal havia estado em um bar localizado na saída de Paulo Ramos sentido a Marajá do Sena, tomaram duas cervejas e saíram às 16h.


(Blog de Sérgio Matias com informações do Blog do  Walney Batista com algumas modificações).

Nenhum comentário:

Postar um comentário