HORA CERTA

sábado, 12 de outubro de 2013

Prefeito renuncia mandato no Maranhão


"VASCO" ALEGOU PROBLEMAS DE SAÚDE, MAS SABE-SE QUE EXISTEM OUTROS MOTIVOS, FORTES O SUFICIENTES PARA UMA DECISÃO TÃO SÉRIA...
 
Israel Vasconcelos, o "Vasco"
A região tocantina e o Maranhão do Sul  foram surpreendidos com uma notícia bombástica agora há pouco. O prefeito de Ribamar Fiquene, distante 50 km de Imperatriz, Israel Ribeiro de Vasconcelos, o "Vasco" (PSB), renunciou ao mandato. A renúncia foi feita através de documento dirigido à Câmara Municipal que já teria dado posse ao vice-prefeito Edilomar Nery de Miranda (PCdoB).
Edilomar Miranda, já tomou posse
Segundo informou o ex-vereador Luís Sabino, na carta endereçada ao poder legislativo municipal, Vasco alegou que estaria renunciando devido a problemas de saúde.

O que sabemos no entanto é que Vasco além de enfrentar diversos problemas administrativos, governava o município sub-judice, pois teria sido cassado em 13/07/2013 pelo juiz da 103ª zona eleitoral da comarca de Montes Altos, Franklim Brandão Júnior, que  julgou procedente o pedido de impugnação em petição inicial e cassou os mandatos eletivos de  Vasco, e Edilomar, prefeito e vice-prefeito, respectivamente. Com a decisão, além da perda do mandato, o prefeito e o vice ficariam inelegíveis por oito anos seguintes a 2012, a Justiça mandou dar posse ao segundo mais votado, Salomão Filho (PSC)

Vasco é acusado de irregularidades na campanha, na prestação de contas, abuso de poder econômico, falso testemunho e falsificação de assinatura em documento apresentado à Justiça Eleitoral, além de omitir despesas da campanha eleitoral com locação de veículos e de um imóvel para instalação de comitê no povoado de Lajeado Velho, zona rural do município. 

Não deu outra: Como sempre acontece com essas decisões em primeira instância, Vasco correu pra São Luís e retornou no mesmo dia com uma liminar que lhe dava o direito de continuar no cargo. Agora, inesperadamente resolve renunciar.

Todos em Ribamar Fiquene sabem: Vasco comprou o mandato dele, pensou que seria fácil depois governar uma cidade, já administrativamente cambaleante assim deixada pela administração anterior. Os mais críticos e os adversários afirmam que "ele achava que poderia depois reaver o que gastara na eleição, piorando ainda mais sua decepção quando foi cassado e sabe-se lá o que gastou para retornar ao governo". Homem rico, experimentado no trato com finanças, Vasco fez as contas e viu que não dava para continuar sendo prefeito. 

"Já faz tempo que o Vasco deixou de governar, o município vivia nas mãos de pessoas da confiança dele, ele viu não valia a pena para ele um homem de negócios, tava perdendo tempo e dinheiro", diz um adversário que preferiu o anonimato, com medo. E com razão, pois como todos sabem que lá a coisa não é de brincadeira, até o valente Ita Alves tombou e sua morte até hoje não foi desvendada...

Agora a bola está com Edilomar Miranda, que ainda corre o risco de perder o mandato, pois o processo em que Vasco e ele conseguiram uma liminar, ainda vai ser julgado pelo TRE-MA, talvez com desdobramentos até a última instância, o TSE.

Por: Josué Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário